Sex on fire †

A tristeza tem esse poder de nos transformar numa versão em preto e branco de nós mesmos. É como se toda a cor da nossa essência ficasse aprisionada debaixo de uma camada grossa de problemas, preocupações, frustrações, medos. E é aí que eu escrevo. E eu não escrevo pra aliviar; até porque, sinceramente, escrever não alivia. Nunca alivia. Pelo menos não no meu caso. Mas escrevo porque de toda essa lama tem que nascer uma flor-de-lótus, porque acredito que a dor é a matéria-prima da arte. Escrevo aquilo que não falo pela minha falta de eloquência. Escrevo porque sangra, e sangra quando escrevo. É como cutucar uma ferida aberta. Escrevo porque se não escrevesse não saberia o que fazer com esse excesso de pensamentos que carrego dentro da bagagem do meu ser.

—    Azul Ciano (via oxigenio-dapalavra)

(via oxigenio-dapalavra)